Booking.com

Floresta Amazônica - Viagem de experiência



Você sabe o que é uma viagem de experiência?
Já ficou sem sinal, sem internet e sem nenhum contato além das pessoas que estavam ao seu redor durante dois dias em pleno 2015?
Eu sim!
Tive medo de precisar ligar, medo de acontecer algo, medo de não saber agir durante dois dias sem internet, sem hospital próximo e coisa e tal. Parece engraçado, mas nunca pensei que teria este sentimento, sair da zona de conforto nos faz pensar. E sabem o que descobri durante esta viagem?

Que muita gente vive com muito menos que nós, relembrei que é uma delícia conversar sem o celular por perto de vez em quando, que um arco-íris nos faz sorrir, que sou tão pequena diante da mãe natureza, que sou corajosa, que o pôr-do-sol ainda me emociona e que é maravilhoso parar um pouco, observar as pequenas coisas e ouvir o som dos pássaros!

Fiz questão de contar o que senti, pois, faz parte da viagem de experiência, este tipo de viagem é diferente desde o planejamento, nos leva a outra realidade, ao desconhecido e ao esquecido.

Um pouco antes de viajar, pensei em cancelar o passeio na selva. Adivinhem porque?
Minha mãe teve um pesadelo, que um "bicho"(pensei no jacaré, a tal focagem), saindo de uma "água escura" (pensei nos Rios da Amazônia que são de água escura) comia meu marido!
Podem rir, mas ouvir isso da mãe, não é nada legal no momento que você está fechando um passeio com focagem de jacaré e pescaria de piranhas pelos rios da Amazônia!
A sorte foi que o marido desta vez não iria! Ufa! hehehe

Terminal de passageiros expresso - Manaus

O programa que fizemos foi o PARI (Significa “lago“ em Tupi Guarani) do Amazon Mamori Hostel, o primeiro hostel floresta do Brasil, o programa inclui:
1 dia - Transfer dos hotéis ou aeroporto, travessia em barco rápido, passando pelo Encontro das águas
(Rio Negro e Solimões) até o Careiro da Várzea, transfer pela BR 319 até a Comunidade do Araçá,
saída em canoa motorizada até a Pousada, drink de boas vindas e acomodações, almoço, passeio
em canoa motorizada para reconhecimento dos igapós, igarapés e lagos nas proximidades da Pousada,
pescaria de piranhas observando simultaneamente o pôr do Sol, botos, Jantar e a temida focagem de jacarés.
2 dia - Contemplação do nascer do Sol e o acordar dos pássaros, café da manhã, caminhada na selva
e observação da Fauna e Flora Amazônica, almoço, retorno para Manaus.


E lá vamos nós!

E assim começamos nossa aventura, eu e mami, com muita coragem e repelente! De Manaus para o hostel de selva são quase 3 horas de viagem!  Neste barco rápido foram 40min, super tranquila esta travessia.

    
Nesta primeira parte que chegamos ao encontro das águas, Rio Negro e Solimões, as águas não se misturam por conta da temperatura e densidade, é realmente incrível, consegui pôr a mão bem na divisão, de um lado a água gelada e do outro água quente.


Um show da natureza!

Após atravessarmos os rios, descemos e passamos no centro de uma comunidade para chegar ao transfer e continuar nosso trajeto por mais 40 min., agora por terra, em uma combi personalizada, toda revestida de pelúcia vermelha, hehehe.

Red combi!


Tudo muito diferente e simples, me senti nas reportagens sobre a Amazônia. Destaque para a drogaria, vontade de fotografar tudo!

Tem como ignorar?

Frutas, na grande maioria não conhecia, tinha que perguntar, que vergonha!
Uma brasileira de 30 anos! Aff

Neste centro compramos a farinha de tapioca (saco) por R$5, vendem peixes, carnes, manteiga, frutas típicas, temperos...


Paisagem linda e comum na amazônia, nunca vi tantas vitórias régias juntas! Existem palafitas de todos os tipos, tamanhos e cores.

Que tal?

Como sou pequena diante desta grandeza!

Navegando pelo rio, o céu em dose dupla! Senti paz, presença de Deus, que coisa linda gente!


Eis que um arco-íris resolve nos presentear durante a pescaria de piranhas.

 Mami concentrada na pescaria!

Achei um pé de pássaros!

E a paisagem muda a cada momento e surpreende com pássaros que parecem dançar...

Subida para o hostel!

Queria ficar na selva sem luxo (encontrei programas parecidos por até 6 mil) e ao mesmo tempo em boas condições (nada de dormir em barracas e redes) até porque fui com minha mãe, e a escolha foi acertada, o hostel é uma graça, simples e com uma área linda. 

Recepção e restaurante

Nosso chalé durante os dias de experiências

Sobre o chalé, o tamanho é ótimo, este acomoda 4 pessoas, senti falta de um cobertor e tapete no banheiro, possui ar condicionado e vista para o rio.


Socializando com o grupo

Isso mesmo, tínhamos uma criança no grupo, filha de um casal aventureiro, uma fofa, mas não recomendo, o local não possui programação para os baixinhos, ainda não tenho filhos, mas acho que não os levaria para uma focagem de jacarés.

O hostel visto do Rio Mamori

Encantada!

Contemplação do pôr-do-sol de dentro de uma canoa! Por alguns minutos o rio ficou parecendo fogo!

O ponto alto! O pôr-do-sol!

Todas as fotos são minhas e sem nenhum tratamento, precisa?

Quando a noite cai, é inevitável a ansiedade, parece que a qualquer momento irá aparecer um "bichinho" diferente, e pular na canoa vi alguns, mas nada demais, ainda bem!
O som dos pássaros neste momento é algo inexplicável!

A Focagem de jacaré...

Você consegue ver algo, em volta da canoa? Eu não!!!!!
A única luz nesta fotografia foi a do flash, neste momento no meio do rio, mamãe coitada, agarrada no meu braço dizendo - Fala pro moço não colocar a mão no rio não! - Neste momento você não sabe se ri ou chora!

Você se pergunta, onde estão os pais deste jacarezinho neste momento? Help!

Rindo de nervoso, dá pra perceber?

Ficamos navegando às 20h da noite pelo rio depois de muita tensão, silêncio, escuridão, medo e alguns milhares de olhos acesos no rio encontramos um jacaré do tamanho ideal! Perfeito para admirarmos "sem pavor" e soltá-lo novamente. Claro que não perdi a chance de segurar um!

Concorda que já está bom de jacaré por hoje?

No outro dia pela manhã para relaxar...

Não tem como não ficar zen!

Feijoada incluída no programa, mas o peixinho ali, sempre presente!

Preciso comentar que as refeições são bem contadas, certinhas, se algum guloso comer rápido e repetir de forma generosa, você corre o risco de não comer bem, então se observar algo do tipo, informe para que providenciem o prato em questão. Os outros pratos estão nesta postagem.

Óbvio que eu não iria deixar de fazer uma trilha na floresta, fui com medo, mas fui!

 Quem nunca? 

Lindo!

Caminhamos bem, por quase 2h, o grupo até que resistiu bem, me balancei em cipós, encontramos frutas pelo caminho e comemos, insetos desconhecidos, um rio, pulamos árvores caídas, vi folhas de todos os tipos e tamanhos, árvores aromáticas que produzem perfumes e uns sons que não me agradaram tanto... quem sabe de onça, cobras, ai, ai.

Encontrei esta casa, só não sei quem mora! Medo!


Foi ótimo conhecer vocês!

Para este programa leve na bolsa:

- Capa de chuva
- Protetor solar
- Repelente de insetos para corpo e para ambiente (coloque no chalé)
- lanterna
- Câmera fotográfica, carregador e binóculos
- Sacolas
- Chapéu
- Livros
- Roupa de algodão leve, incluindo camisetas de manga comprida e calças compridas de preferência com boca justa, para que insetos não entrem e subam pela sua perna (falo isto pois aconteceu com um integrante do grupo).
- Um par de botas p/ caminhadas na selva / tênis.
- Um par extra de sapatos
- Um par de meias por dia com um par extra
- Calção de banho ou maiô
- Artigos pessoais de toalete, todos!

Acabei de saber que este programa que fizemos, PARI, de R$1000 foi pra R$500 por pessoa.
*Todos os preços colocados nesta postagem são de Maio/2015.

Até a próxima aventura viajantes espero que tenham gostado!

6 comentários:

Camillo disse...

Eu que não sou bobo. Preferi ficar em casa, não pagar para ver.
Praga de sogra é sinistro!
Brincadeiras a parte, a matéria ficou ótima. Parabéns.

Anônimo disse...

Kkkkkk esse meu afilhado eh uma figura! Camillo tadinha da Lucia!
Lu amei o post, sabia q vc ficaria encantada! Te espero aki mais vezes. Sobre ir com crianças...nós já fomos com Mel para um hotel de selva e ela se amarrou...tinha um jacaré de 4 metros nas dependências do hotel...ela se divertia alimentando-o. Pegar no jacaré ela naum pegou...teve medo. E tb nadamos com os botos...ela teve pavor...ateh a hora q o boto passou roçando na perna dela e ela fico toda orgulhosa q o boto tinha encostado nela ...kkkk. Enfim...meus filhos já são praticamente nativos neh...kkkkk.
Sucesso!
Tita

Luana Prazeires disse...

Kkkkk só você!
Obrigada!

Luana Prazeires disse...

Bom saber Tita, que ela gostou!
Verdade, vocês todos já são praticamente manauaras.
Obrigada pela sua contribuição!

LUCIA HELENA disse...

Amei toda essa aventura amazonense !senti medo e mas valeu ...toda experiência e valida . Lu na próxima conte comigo .bjs t amo mami.

Luana Prazeires disse...

Amei também mãe, você é uma ótima cia de viagem! Obrigada!